Ilhas

Nada menos que 56 ilhas encontram-se na BTS, dentre as quais a maior e mais importante é a de Itaparica. Outras ilhas importantes são: Ilha dos Frades, Ilha de Maré, Ilha de Bom Jesus e a estação ecológica da Ilha do Medo, Madre de Deus, Bom Jesus dos Passos, Matarandiba, Saraíba, Mutá, Olho Amarelo, Caraíbas, Malacaia, Porcos, Carapitubas, Canas, Ponta Grossa, Fontes, Pati, Santos, Coqueiros, Itapipuca, Grande, Pequena, Madeira, Chegado, Topete, Guarapira, Monte Cristo, Coroa Branca e Uruabo. Estas ilhas são bastante diversificadas do ponto de vista social, econômico, político-administrativo e cultural.

A maioria delas não é frequentada por turistas e algumas ainda são desconhecidas pelos próprios baianos. Apenas as ilhas de Itaparica – a maior ilha marítima do Brasil – e Madre de Deus possuem autonomia político-administrativa. As demais pertencem aos municípios que margeiam a Baía de Todos-os-Santos, como Cachoeira, Candeias, Itaparica, Jaguaripe, Madre de Deus, Maragojipe, Salinas da Margarida, Salvador, Santo Amaro, São Francisco do Conde, Saubara, Simões Filho e Vera Cruz. Estes municípios estão entre os mais antigos da Bahia e integram a região conhecida como Recôncavo Baiano, importante centro cultural e econômico do país até meados do século XIX.

Atualmente, essas localidades integram a Região Metropolitana de Salvador e o Recôncavo Sul. Ocupadas desde os primórdios da Baía de Todos-os-Santos, muitas dessas ilhas possuem um rico acervo histórico-cultural, traduzido em belas igrejas e fortalezas militares. Somando-se este valioso patrimônio às belezas naturais e às condições de navegabilidade da baía, o resultado é um conjunto privilegiado com grande potencial para a atividade turística.

Municípios beneficiados